expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Preconceitos

            Para onde quer que olhemos, vemos que há um sentimento tomando conta de  nossa sociedade de forma torpe. Um sentimento mesquinho, sujo, errôneo.  Um sentimento chamado preconceito.
            Escutamos mães dizendo: “ Meu filho não vai brincar com aquele menino. Ele nem é da mesma condição social.” Ou, pais dizendo: “ Minha filha! Minha filha nunca vai namorar alguém que não seja da mesma cor.”  Ou alguma mulher dizendo: “ Eu  não vou sair com ele. Ele é pobre e vive falando errado.”
            Queridos, as pessoas valem pelo que elas são sim. Mas o que elas são por dentro. Afinal, uma situação financeira, ou a falta de certos conhecimentos, ou até mesmo  cor de pele, não define ninguém.
            Uma pessoa não é mais legal por ser branquinha de olhos azuis.  Muito menos é mais especial por ter o carro do ano. Sabe aquela frase bem popular que diz: O que adianta ter capa e não ter conteúdo!” Pois é! Ela está coberta de verdade. Algumas pessoas se prendem muito em valores errôneos e se esquecem dos verdadeiros valores.
            Pense bem, e se fosse com você? Você gostaria de ser definido ou tratado com desprezo só pelo fato de você ter pouco dinheiro, ou pela sua cor de pele, ou por tantas outras coisas que serve de motivo esfarrapado para preconceitos?
            Você vale pelo o que tem? O seu valor depende da sua cor de pele? Sua aceitação na sociedade tem que depender da sua condição econômica? Você é mesmo definido pelas  suas dificuldades ou você é quem define quem você é?
            Se a resposta é: Eu defino quem eu sou!  Então meu querido, pegue seu preconceito tolo e jogue pela janela, não, faça melhor, enterre.  Mas se sua resposta é: As pessoas têm razão! Volte ao início desse post e leia novamente, mas desta vez meditando nestas simples palavras.
            Entenda e aprenda: Não julgueis para não ser julgados! O julgar significa ter preconceitos, falar mal, ignorar a pessoa, condenar...

            Pense nisso!
            Fica a Dica!
                                                                                              (Fernanda Muniz)

6 comentários:

Junior Menezes disse...

Mais um post inteligênte da minha amiga Nanda!!! Puxa... quanta visão de sociedade, quanta compaixão e humanidade... Serie muito bom se outras pessoas dedicassem um pouco do seu tempo com temas assim.

Infelizmente, o Brasil é um país fundamentado nas bases preconceituosas, por exemplo, aqui no Nordeste, ainda existe o "coronelismo" onde algumas pessoas por falta de conhecimento chamam os grandes empresários de "Dr. Fulano" quando na maioria das vezes esses caras não possuem nenhum tipo de doutorado, ai maioria nem formado é. Vemos a todo momento os caras espancanco gays, negros, nordestinos... Para os preconceituosos essas pessoas são inferiores... Eles seguém o ideais nazistas que deveriam ser abaominados devido ao mau irreparável que causaram a humanidade...

A sociedade brasileira é extremamente machista... O que na minha opinião é um preconceito idiota!!! O mundo será melhor quando todos os seres humanos forem tratados com igualdade.

Parabéns pela postagem!!!

Beijo!!!

Fernanda Muniz disse...

Fico feliz por ter gostado do post. É sempre importante ouvir as opiniões dos meus leitores.
Você está coberto de razão.
É o que eu costumo dizer, não é porque você não gosta ou não concorda com alguma coisa que você tem que ser preconceituoso.
Tem muita coisa que eu não concordo na sociedade de hoje, mas eu respeito todos da mesma forma.
Resta deixar a dica para o pessoal né?!

Beijão

Juliana . Oliveira disse...

Preconceito. A palavra mais nojenta que existe.
Não, não somos iguais. Somos diferentes, pensamos diferente, agimos de forma diferente, acreditas em coisas diferentes. Porém nada nos faz ser melhores que as outras pessoas. As diferenças existem e são essenciais pro crescimento e desenvolvimento de cada um de nós.
Mas todos merecemos respeito, pois, todos temos um determinada caráter e é a partir dele que construímos a nossa vida.
Parabéns Nanda!
Excelente texto!
Um beijo ;*

Juliana . Oliveira
http://linhasdeencanto.blogspot.com/
@Julymg2

Fernanda Muniz disse...

Concordo com você Ju.
É um absurdo que em pleno século XXI ainda exista tanto preconceito e tantos movimentos relacionados ao nazismo por exemplo.
É como eu disse, não é porque eu não concordo com algo que tenho que tratar mal ou agredir alguém.
Fica a dica para o povo.

Obrigada Ju.
Beijão!

Karen Pereira disse...

Nanda, como sempre, amei seu texto. Só que há diversas formas de preconceito hoje em dia... Além das citadas no seu texto, há contra deficientes, homossexuais e diversos outros grupos. Acho que no próximo texto poderia incluí-las, não? Beijos, parabéns!

Fernanda Muniz disse...

Pode rolar um preconceito parte 2! rsrs
Obrigada pelo carinho!

Beijos