expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Grande amor


   Todas as manhãs eu realizo meu sonho. Pois todas as manhãs, tenho a oportunidade de olhar para o que me é mais importante e o que é mais belo. Todas as manhãs, posso olhar em seus olhos e lhe dizer o quanto te quero e o quanto te amo. O quanto te desejo e o quanto te respeito.
   Desde que nossos olhares se entrelaçaram pela primeira vez, eu tive a certeza de era você. De que era você que me faria sentir o que sinto agora. Que seria você o responsável pelos os meus sorrisos fora de hora, pela minha insônia, pelos os meus pensamentos. Eu sabia perfeitamente, de forma muito clara, que seria com você que eu passaria o resto da minha vida. E aqui estamos.
   Descrever o que eu sinto quando ouço a tua voz, ou o que sinto quando você me abraça, quando diz que me ama, ou quando apenas me olha, seria impossível. Sempre chegaria um ponto em que as palavras me faltariam.
   Acho que nunca vou saber o que provoco em você também. Não saberei nada além do que você me diz, mas suponho que seja o mesmo que você provoca em mim. A mesma sensação que todos que amam sentem.
   Coração dispara. Corpo vibra, como se chamasse o seu, como se fosse uma espécie de código para o seu corpo. Pensamento vai longe, passeia pelas lembranças. O ar parece faltar. E os olhos mal conseguem piscar. Vem à certeza de que se encontrou o amor, o que todos chamam de grande amor.
   Ama-se com zelo, com paixão. Aprende-se a amar com a alma. Entende-se que um amor para ser grande tem que ser puro. Encontra-se a fidelidade, a proteção, o companheirismo, a amizade pura em sua essência. Encontra-se a felicidade de se estar amando e sendo amado. Cuidar e ser cuidado. Encontra-se tudo o que encontrei em você e com você.

                                                                                                          (Fernanda Muniz)