expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Um dia...

Ele: Você está linda! Às vezes me pergunto como seria passar um dia sem te ver, e fico louco com a hipótese de não te ver, não te sentir.
Ela: Eu não consigo nem pensar nisto. Só de pensar sinto que vou desabar. Melhor não pensarmos nisso. Eu te amo.
Ele: Você tem razão. Desculpa-me amor. Não iria a nenhum lugar que você não estivesse.
Ela: E, eu não viveria em um mundo que você não vivesse.

         Anos mais tarde:

Ele: Não podemos mais ficar juntos.
Ela (em prantos): Não acredito no que estou ouvindo. É mentira né?!
Ele: Não.
Ela: Então diz que você não me ama mais.
Ele: Eu não te amo mais.
Ela (chorando muito): Não vou suportar te perder.
Ele (segurando as lágrimas): Promete que vai se cuidar sem mim?
Ela: Como pode me pedir isso?

                   Ele então se afasta e se vai. Ela ficou arrasada por vários dias, até que uma amiga em comum do casal revelou o real motivo. Ela então resolve agir e correr atrás dos dias perdidos.

Ela: Eu sei por que você terminou comigo. Eu sei que é mentira. Que você me ama.
Ele: E por que terminei?
Ela: Para tentar me proteger de um dia te perder de vez.
Ele: Como descobriu?
Ela: Não importa. Eu te amo demais para viver sem você, e mais ainda para te deixar viver sozinho nesses dias difíceis.
Ele: Você já tem problemas demais para se preocupar com uma pessoa que tem...
Ela: Pode parar. Eu te amo e vou ficar com você até o fim.
Ele: E como sabe que ainda te amo?
Ela: Simples. Essa foi à única vez que não olhou em meus olhos.

                   As coisas foram ficando piores com o tempo. Entretanto, eles continuaram unidos. Não importasse quando estavam cansados ou debilitados.
Ele: Amor vai descansar. Eu estou bem.
Ela: Vou ficar aqui com você. Não há nada mais importante para mim. Quero aproveitar cada instante, e te dar todo carinho que eu puder.
Ele: Você sempre me deu, amor! Não sei o que seria de mim sem você.
Ela: Você não ficar sem mim. Sempre até o fim. Lembra?
Ele: Sim. Você vem ficar comigo no final de semana?
Ela: Sua família virá. É melhor você ficar com eles. Afinal, eles vêm de longe. E se eu ficar aqui, você irá curtir seus familiares. E eu não quero atrapalhar nada. Então...
Ele: Amor! Estamos juntos há tantos anos. Como pode pensar que está atrapalhando? rs
Ela: Mesmo assim. É um momento seu. Um momento familiar.
Ele: Então está bem! Mas quero que você aproveite para descansar. E prometo estar aqui na segunda. Lindo, esperando por você.
Ela: Promete mesmo? Você é convencido, mas tenho que concordar, você é lindo.
Ele: Claro que prometo. E quero que saiba que você fez toda minha vida valer à pena. Eu te amo, e enquanto houver carne vou amar você. Você foi, é e sempre será minha princesa, minha rainha. Eu sempre estarei com você.
Ela (chorando): Eu venho bem cedinho. Eu te amo mais do que tudo amor. Sempre vou amar você. Você sempre será meu eterno amor, meu príncipe, meu rei. Você sempre será minha vida.
Ele (chorando): Desculpa por todas as lágrimas que fiz você derramar.
Ela: Isto está parecendo uma despedida. E eu sei que você vai estar aqui na segunda. Agora eu tenho que ir para casa. Está muito tarde. Até segunda meu amor.
Ele: Até amor. Eu vou te esperar para tomarmos café juntos. Um dia ainda se lembrará dessas palavras e esse momento.

                   E os dois selaram aquela despedida com um beijo longo e carinhoso. Na segunda pelo começo da manhã, a mãe dela se queixa de dor no peito e a pede para levá-la ao hospital. Certa de que ele a estaria esperando, ela foi com sua mãe.  Horas mais tarde, seu celular toma.

Sogro: Oi minha linda! Como você está?
Ela: Estou bem. E o senhor? O que houve?
Sogro (segurando o choro): Descansou? Onde você está?
Ela: Sim. Estou com minha mãe em um hospital. O que aconteceu com ele?
Sogro: Ele passou mal nessa madrugada. Ele faleceu. Perdemos nosso príncipe.
Ela (chorando muito): Não! Ele me prometeu que esperaria. Que tomaríamos café juntos. Não é justo. Ele me prometeu.
Sogro: Eu lamento. Lamento demais. Ele era tudo para mim. O enterro será agora de manhã às 11h00min.
Ela: Como vou deixar minha mãe aqui sozinha? Não sei o que fazer! Não sinto nem minhas pernas.
Sogro: Filha fica com sua mãe. Não sai daí. Depois eu te levo no local.
Ela: Está bem. Mas eu prometi que estaria até o final e não vou cumprir.
Sogro: O que você fez por ele foi a maior prova de amor que você poderia dar. E você esteve ao lado dele sempre. E sei que está agora, mesmo sem estar lá fisicamente. É melhor para você não ir. É muita emoção e muita dor. E você já está sofrendo.

                   O enterro aconteceu, e ela não pôde ir. Socorreu sua mãe, a levou para casa. Cuidou dela. E como combinado, foi levada pelo seu sogro ao local.

Sogro: Foi aqui.
Ela (desabando no chão): Não acredito. Isso é um pesadelo.
Sogro (chorando): Queria eu que fosse. Vou deixar você um pouco sozinha para que fique a vontade.
Ela: Amor! Você prometeu. Você disse que estaria aqui. Eu sempre vou amar você. Com uma intensidade que só você sabe. De um jeito que só nós dois sabemos. Enquanto eu respirar, vou te amar. Nunca me esquecerei de nada.

                   O tempo passou. Mas ela nunca se esqueceu de nenhum momento que eles tiveram. A vida seguiu. Entretanto o amor é o mesmo.

Ela: Você estava certo.Ainda me lembro de cada olhar, cada carinho, cada declaração, cada briga. Sempre o amarei. Um amor que poucos entenderão.  E mesmo que passe muito anos, sempre sentirei nosso amor como o vento que toca meu rosto suavemente da mesma maneira que suas mãos o tocava. 
      
                                                                                      (Fernanda Muniz)


quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Saudade

Dizem que a lágrima de saudade é a representação de um desejo. Um desejo da alma de ter a pessoa ao lado. Dizem também que a saudade é um dos sentimentos mais difíceis de serem sentidos, entendidos, pois quando está relacionado a momentos, nos traz à tona a realidade de não mais viver este(s) momento(s).
            Eu confesso que tenho que aprender sobre saudade. Como lidar com a saudade? Sempre me questiono como viver sentindo saudade. Eu ainda não aprendi a lidar com a saudade. Sinto saudades de momentos, pessoas, saudades até do que nunca vive.
            Aprendi a viver sentindo saudade do que nunca tive. Saudade dos carinhos que meu pai nunca me deu. Saudade das minhas avós e dos meus avôs, que tanto me fizeram sorrir. Do cheiro do frango frito e do angu da minha avó materna. Saudade de amigos que já perdi para vida e para morte. Saudade de duas pessoas que realmente amei, e perdi.
            Hoje só me restam lembranças e muita saudade.
            Mas ainda não aprendi a viver sem meu grande amor
. Meu eterno marrento, que me fez mais feliz do que qualquer ser possa imaginar. Brigas, crises, distâncias só serviam para nos aproximar, nos unir cada vez mais. Sinto saudade do cheiro, da pele, das ligações fora de hora, das canções que você me dedicava. Saudade dos dias que ficávamos sentados na varanda sonhando sonhos lindos.
            Saudade do amor que veio depois. Veio para me fazer feliz, ele me fez sorrir quando eu queria chorar, mas também me fez chorar quando eu quis sorrir.  Mas um detalhe nos separou.
            Quem não tem saudade que atire a primeira pedra, não é mesmo?! Sempre existirão situações que te fará sentir saudade de algo que você já viveu ou de alguém. Só temos que aprender a viver com ela.  Temos que dominar e não deixar que ela nos domine. Porque mesmo que não se queira admitir, a saudade sempre e para sempre existirá.  

                                                                    (Fernanda Muniz)

Pense nisso!
Fica a dica!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Vaidade

         Confesso que para alguns esse tema chega a ser polêmico. Uma vez que para muitos a vaidade é apenas o hábito exagerado de cuidar do externo. O que muitos não sabem é que na verdade vaidade é um sentimento.
         Vaidade está relacionada ao egocentrismo. Um bom exemplo disto são aquelas pessoas que sempre fazem questão de mostrar o quanto sabem fazer algo e nunca admitem que existam outras pessoas façam melhor. Aquele tipo de pessoa que chega e diz: Ah! Isto eu sei fazer e faço melhor! Pois é, este tipo de pessoa é um excelente exemplo de como a vaidade pode ser um sentimento perigoso.
         Este sentimento pode ser bom quando controlado, e ruim quando em excesso. No instante em que é controlada, a pessoa deseja sempre ficar limpa, cabelo arrumado, tudo porque existe o sentimento de estar sempre apresentável, deseja-se ser reconhecido por seu trabalho, deseja vencer. Mas consegue manter a humildade. Entretanto, quando este é um sentimento em excesso, a pessoa supõe que todos devam sucumbir as suas vontades, como se nada mais importasse. Sem importa-se com as conseqüências. Isto é mais alto nível de perigo, se é que posso enfatizar assim. Pois quando chega neste nível, a pessoa acaba ficando sozinha.
         Para os fanáticos religiosos, que acreditam que todas as mulheres que usam maquiagem e cortam o cabelo vão para o inferno, entendam que naquela época mantinham o cabelo cortado para se fossem reconhecidas sendo diferenciadas pelo costume. Isso é higiene e não vaidade. O fato de você sempre ficar julgando não deixa de ser vaidade. Mudem de hábito, não julguem apenas instruam quem você acha que está fazendo algo errado.
         Para os mais exóticos, nem todos os religiosos falam “besteiras”. Pirciengs e tatuagens são profanações do corpo. Mas isso não é motivo para as pessoas que usam serem menosprezadas ou julgadas.
         Cuidado com os sentimentos que se escolhe para serem sentidos. Eles podem ser bons ou ruins. Só você pode saber pesar as conseqüências de cada um para sua vida. Fiquem certos de que há caminhos que não tem volta.


Pense nisso!
Fica a dica!


                                                                                     (Fernanda Muniz)