expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sábado, 3 de novembro de 2012

Não! Você não é maluco!

   Quem nunca se pegou reclamando sozinho a respeito de algo que não agradou? E o clássico falar sozinho? Você já andou falando sozinho pelas ruas, enquanto pensava em decisões que temos que tomar? Para você, que assim como eu, faz essas coisas, eu tenho uma ótima notícia. Não, você não é maluco! Cada um tem um jeito característico de se viver. E, acredite, falar sozinho não é algo tão grave. Aliás, eu acho até bom, pois nos ajuda a pensar nos nossos problemas.
   Você que briga com a pessoa amada dizendo que não quer mais vê-la. Ah! Eu sei que já fez isso. E se não fez ainda, fará, certamente. Enfim, se você já fez isso, e dois segundos depois deu meia volta e abraçou o(a) amado(a). Você também não é maluco. Você só é apaixonado demais para deixar que ele ou ela se vá por tão pouco.
   Tem o outro tipo de pessoa que é tido como maluco, os que reclamam com os computares e suas lentidões. Seja sistemas ou internet. Penso neste tipo de pessoas como os loucos da tecnologia. Viramos reféns, e a tecnologia nos enlouquece. Operadoras que nos deixa sem sinal. Torpedos que não podemos responder por falta de crédito. Internet que nos deixa na mão quando mais precisamos. Enfim. Tudo relacionado a tecnologia nos enlouquece. E não. Você não é maluco por reclamar com computadores, moldens e celulares. 
   Todos nós fazemos este tipo de coisa. Não há um que não faça. Pode até não assumir, mas faz. Então, o mundo é louco mesmo, porque devemos ser normal. Afinal o normal é tão sem sal, é tão comum. 
   Seja feliz com suas loucuras mesmo que o mundo te chame de maluco. 
   Lembre-se de que você não é maluco. Apenas não entende o nosso normal. Afinal, um pouco de anormalidade torna a vida mais fácil.

Fica a dica!

                                                                                                                    ( Fernanda Muniz)

8 comentários:

Nilson Ramos disse...

Ser maluco é bom, porque é normal ser "louco", aprendemos desde cedo que de perto ninguém é normal e que temos que ter sempre a loucura de acreditar. (risos)

Você tem razão Fernanda, o mundo é mesmo louco e não faz sentido querer ser normal! Aliás, afinal o normal é tão sem sal, é tão comum. (gostei muito dessa parte)

Na verdade, como sempre, gostei de tudo, do texto, do contexto, do seu ponto de vista e de todos esses pensamentos, ou melhor, apenas pensamentos.

Fernanda Muniz disse...

Nilson! Como é bom ver você por aqui!

Essa parte é a que mais me agradou também. rs

Muito obrigada pelo carinho de sempre e por sempre estar por aqui acompanhando o blog.

Beijos!

Luana Melo disse...

Nanda!

Adorei esse texto que toco na tecla que toco sempre! A normalidade excessiva acaba tirando a beleza da vida e de cada ser humano, afinal essa beleza habita na nossa singularidade não.
Beijos*

Fernanda Muniz disse...

Sem dúvida, flor!! *-*

Beijinho!

Joana Masen disse...

Fernanda, gostei do blog e dos sentimentos expressos aqui.
Não somos malucos... ou somos totalmente, rs. Acho que cada um de nós tem uma pitada de insanidade dentro de si, e isso é mágico!
Você mencionou falar com os computadores e eu me lembrei que costumo falar com a TV. Isso mesmo, eu debato, respondo, dou opinião, agradeço e cumprimento os apresentadores dos telejornais. Sou louca? Nem tanto...
Bjo!

Fernanda Muniz disse...

Obrigada Joana! *-*

Louca você? Então também sou. Às vezes eu dou boa noite para os ancoras dos telejornais kkkkkk E falo com o computador o dia todo kkkk

Beijos!

Orleans Nery disse...

O que seria a normalidade, se todos somos diferentes? Será que existe...?

Fernanda Muniz disse...

A normalidade nos torna chatos! kkk