expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sábado, 2 de junho de 2012

Um encontro nada por acaso acontecera naquela noite



                Dois jovens se esbarram em uma festa. Sem nada a dizer, eles apenas se olham durante alguns segundos e depois se afastam.  Aqueles segundos foram o suficiente para se tornarem eternos nas lembranças de cada um.
                Passado alguns dias, eles se encontram novamente. No entanto, dessa vez foram apresentados por um amigo em comum. Ao toque das mãos em um cumprimento simples, novamente os olhares se cruzam de forma mais intensa. Ali era exatamente o começo.
                Algumas semanas depois, eles voltam a se encontrar. Dessa vez ele cria coragem para iniciar uma conversa.
Ele: Tudo bem?
Ela: Tudo e com você?
Ele: Melhor agora. E antes que diga algo, estou sendo sincero.
Ela: Eu nem pensei ...em falar nada...quer dizer...por que sincero?
Ele: Por que eu queria ver você. Saber como você está?
                Ela nada respondeu e apenas o olhou por alguns minutos.
Ele: O que foi?
Ela: Nada. Só estou pensando.
Ele: Eu digo que queria saber como você está e você apenas fica em silêncio.
Ela: Estava pensando por que o interesse todo. Nos conhecemos há poucas semanas.
Ele: Você está nervosa? Está tremendo. Posso sentir daqui.
Ela: Nervosa eu? Não. E você não respondeu minha pergunta.
Ele: O interesse se resume ao fato de eu estar apaixonado. A cada dia que passa eu estou mais apaixonado.
Ela: Espero que ela te faça feliz.
Ele: Tenho certeza de que você me fará feliz. É só você me dar a oportunidade de te fazer feliz. Quero ser seu o resto da minha vida.
Ela: A gente se conhece tão pouco...mas...
Ele: Eu sei que você me ama. Do contrário, seu corpo não tremeria cada vez que chego mais perto de você. Eu te amo. E nos conhecemos tempo suficiente.
Ela: Eu te amo e quero ser sua o resto da vida.
                Os dois começaram uma relação linda. Cumplicidade, amizade, respeito, carinho, companheirismo. Tudo parecia perfeito para eles e com eles. Mesmo com as brigas, porque todo casal briga. É a chamada convivência. Entretanto, mesmo com a distância em alguns momentos, com as brigas, a sensação que se tinha era que não havia nada que se pudesse fazer para separá-los. Eles haviam sido feitos um para o outro.
                Juntos viveram uma linda história de amor. Ambos eram o grande amor de cada um. Juntos desfrutaram de grandes e marcantes momentos. Todos sempre muito intensos. Cada detalhe guardado com muito amor e respeito por cada um.
                O final dessa história nunca poderá ser escrito. Sabe por que?
                Porque um grande amor jamais tem fim.

                                                                                                       ( Fernanda Muniz)

8 comentários:

Gabriela Lemos disse...

Que lindo *...*
Uma história de amor jamais tem fim..
Amei o texto flor.. ^^
Beijos

Luana Melo disse...

Que lindo Nanda!!!
E essa conclusão hein? Concordo plenamente com você. Um amor verdadeiro não acaba!
Amei viu? Como sempre aliás.
Um Beijão!

http://luahmelo.blogspot.com

Fernanda Muniz disse...

Gabiiizinha linda! *-*

Muito obrigada flor!
Fico imensamente feliz por ter gostado do post.

Beijão!

Fernanda Muniz disse...

Luuuuuu. Que saudade linda!

Mesmo que o tempo passe, nunca acaba.
Eu que amo os seus textos linda!

Beijão!

Flavia disse...

Que texto mais lindo!!
E esse final? Concordo plenamente.

Adorei

Bjokas

Flávia
http://livrosechocolate.blogpspot.com

Fernanda Muniz disse...

Oi Flávia!
Eu fico imensamente feliz ao ler isto. Pois a opinião de você é de extrema importância para mim. Isso sempre vai me ajudar a sempre melhorar.
Espero ter sempre sua visita flor!

Beijos!

Flávia disse...

Quem me dera todos os relacionamentos fossem assim... Muito bonito o texto, parabéns,

E obrigada pelo comentário deixado no meu blog e por seguir o meu blog também.

Beijos, Flavia.

Thoughts-little-princess.blogspot.com

Fernanda Muniz disse...

O que falta é a verdade neles, a sinceridade no sentimento.

Beijos linda!
Imagina, foi um prazer :D