expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sábado, 31 de outubro de 2015

Bagunça acumulada

    Hoje eu acordei com uma determinação que há muito não sentia. Não uma determinação em realizar algo que desejo ou algo físico. Acordei determinada a entender a confusão que havia em meus pensamentos. Precisava entender, de uma vez por todas, o que de fato está acontecendo comigo.
    Comecei a refletir em alguns acontecimentos, eu percebi que tudo não passava de uma bagunça acumulada. Confesso que no início me assustei com o tamanho dela. Porém, foi um alívio encará-la. Afinal, eu percebi, finalmente, que nem tudo era apenas minha responsabilidade. Muitas delas foram escolhas alheias. Apesar de mal feitas, não eram minhas. Eu apenas paguei o preço por tabela.
    A primeira coisa que notei é que, de fato, eu havia me desgastado e isto provocou uma mudança radical. Por um longo período, eu tentei descobrir em qual ponto específico da minha vida isto tinha acontecido. A resposta que obtive foi simples e direta. Em nenhum. Não foi em um ponto específico, e sim um conjunto. O processo de desgaste foi lento e inaudível. Ainda não sei lidar com muitos destes acontecimentos. Minha honestidade me impede de falar algo contrário a isto. Talvez eu nunca consiga lidar com eles, a menos que eles se resolvam.
    Pude perceber também o quanto a falta de fé, amor e respeito de pessoas queridas por nós, podem nos devastar tanto. Seja a curto, médio ou longo prazo. Passamos a nos culpar pela falta de visão dos outros. Fica fácil acreditar que não somos bons, não somos especiais, não somos amados. Ficamos completamente vulneráveis.
    Percebi que Deus foi absurdamente generoso comigo, pois em meio a tantas tempestades, Ele colocou pessoas bondosas em minha vida. Pessoas que me salvaram de muitas coisas, incluindo eu mesma. Houve uma pessoa que me livrou da morte. Houve uma que me impediu de dar fim ao que Deus me deu. Outras que tornaram um pouco mais fácil essa jornada. Ele me deu cinco irmãs, que fazem de mim uma pessoa melhor, mais forte. Ele mesmo falou comigo certa vez. Como Ele é misericordioso.
     Todos fizeram suas escolhas. Algumas me atingiram de forma violenta. Outras nem tanto. Entendi isso. Finalmente consegui pôr fim a esta bagunça acumulada. Cada coisa em seu lugar. Cada sentimento devidamente protegido. Agora é a minha vez de fazer minhas escolhas, ainda que tardias.
     Decidi lutar ainda mais. Por mim e por estas pessoas que acreditaram e acreditam em mim. Por estas pessoas que me salvaram. Estes anjos enviados por Deus. Decidi ser mais forte do que eu tentei ser e cheguei a acreditar que era. Decidi ser mais piegas do que fui antes. Decidi me permitir mais. Aprendi a dizer não em algumas situações. Situações estas que quase me levaram a loucura.
      Cansei de tentar entender quais foram minhas mudanças. Cansei de tentar me adaptar a elas. Cheguei à conclusão de que elas devem se adaptar a mim. Sou quem sou. Não abro mão da minha essência. Não vou mais me fechar para o mundo que se renova diante de mim. Não mais. Amarei ainda mais. Sorrirei ainda mais. Sonharei e realizarei. Não vou mais me adaptar a ninguém. Quem quiser que me aceite.

      Não há mais bagunça acumulada. Há restos. Algumas cicatrizes. Algumas incertezas. Alguns medos. Terei que me desfazer de algumas coisas, eu sei. Faz parte do processo. E farei isto. Mas, não agora. Não de qualquer jeito. Tudo tem seu tempo e agora estou cansada. Foi uma arrumação e tanto. Precisava silenciar o mundo lá fora e ouvir apenas o meu. E, acredite isto não foi fácil. Por hora quero apenas aproveitar esta aparente calmaria e descansar. 

Nenhum comentário: