expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quarta-feira, 7 de março de 2012

Uma história, eternas lembranças

        Uma pessoa aparece em seu caminho, em um momento que você se encontra frágil, te encantando e tranqüilizando com um sorriso, com brincadeiras sobre fisionomia, cabelo, olhar. Ela consegue te mostrar que é possível sorrir mesmo quando se quer chorar. Com ela você descobre um mundo que você não sabia que ainda existia.
        Sem esperar, você descobre um sentimento que faz sentir viva. Que te faz respirar aliviada. Faz você desejar e sonhar com coisas nunca sonhadas antes.
        Em pouco tempo essa pessoa se torna seu grande amor. Dizem que todos nós temos dois tipos de amores que jamais esqueceremos. O amor de nossa vida. Aquele que nos completa de uma maneira surreal, nos domina, nos uni em todas as circunstâncias. Faz-nos sonhar com intensidades jamais sentidas antes. E tem o famoso amor proibido. Proibido não do sentido de ser errado, mas no sentido de simplesmente não poder acontecer. Pessoas de duas crenças diferentes ou de costumes diferentes por exemplo.
        De todos os amores, o que mais marca é justamente o proibido. Pois por mais que o tempo passe, sempre se pensará se daria certo.  As lembranças sempre vêm à memória e quase sempre em horas impróprias. As lágrimas rolam, o pensamento te leva para longe.
        As perguntas ficam e chegam a martirizar. Pois sempre se questiona, como pode duas pessoas se amar tanto e sem obrigadas a escolher ficarem longe, ao invés de simplesmente viverem todos os momentos sonhados antes. E as lágrimas correm e a dor vem à tona.      
Mesmo com a dor, o lugar para onde o pensamento nos leva é mais calmo, mais real, e chega a ser mais aconchegante do que o lugar que vivemos. Pois a dor se torna a única certeza de que realmente vivemos aquela história de amor.

                                                            (Fernanda Muniz)

6 comentários:

Karen Pereira disse...

QUE LINDOOOOOOOO! Esse é, sem dúvida, o texto mais lindo que já escreveste! (Não que os outros tenham sido ruins, mas esse foi o que mais me tocou). Lindo mesmo, muito perfeito! Parabéns, Nanda! Escreva mais textos de amor. Apesar de ser um assunto "batido", é sempre muito belo. Tente escrever sobre felicidade também. =)

Beijos
Karen Pereira
http://aultimacanafistula.blogspot.com/

Fernanda Muniz disse...

Meu anjo!
Estou sem palavras. Fico muito feliz mesmo por ter gostado! Isso é muito importante para mim.
Vou atender seus pedidos com prazer.
Obrigada minha flor! *-*

Beijão!

Gabriela Lemos disse...

Eu quase vejo a minha história neste texto, ou pelo menos, minha atual situação emocional. Amei o seu texto, você escreve muito bem. Gostei bastante de ler os seus textos. Parabéns, continue escrevendo. :)
Beijos

Luana Melo disse...

Oi Nanda...

Nem preciso falar né?
Acho realmente lindo a sua entrega, quando escreve esses textos que mo ler...
É sério. Esse foi muito lindo... E profundo.
Adorei*
Beijos*

http://luahmelo.blogspot.com

Fernanda Muniz disse...

Gabi! *-*

Depois que fiz eu percebi que também é minha atual situação. kkk
Fico muito feliz por ter sempre você aqui!
Obrigada minha linda!

Beijos

Fernanda Muniz disse...

Oi Lu!

Obrigada meu amor!! Obrigada mesmo!
Vou falar mais sobre este assunto e outros que vocês sugerirem.
Siaba que eu também sou admiradora do seu trabalho!
Beijo